Desafios dos Cuidadores Familiares

Boa tarde!

Desde a semana passada participo de um grupo de cuidadores familiares gerenciado pela terapeuta ocupacional Gal Rosa daqui de Belo Horizonte. É uma troca de experiências interessantes e necessárias. Como ela mesma disse ontem à noite em uma transmissão de vídeo dentro da sua página do facebook: o maior problema de quem é cuidador é a falta de informação sobre a situação com a qual ele lida. Ao se informar, o estresse do dia a dia costuma ser amenizado. Realmente senti essa mudança ao começar a estudar sobre a doença da minha mãe.

A Gal auxilia no gerenciamento dos cuidados de vários doentes, mas tem um carinho especial por esse projeto porque, assim como eu, preocupa-se muito com a qualidade de vida e o futuro de quem cuida. É um trabalho de formiguinha, pois, nós que cuidamos, muitas vezes não percebemos como nos anulamos ao nos preocuparmos somente com o bem estar do familiar querido. É comum nos colocarmos em segundo plano, deixando sonhos e projetos de lado para um dia hipotético do futuro que pode nunca chegar.

Me impressiono com a pressão que o cuidador familiar enfrenta diariamente, não à toa adoece devido a esse fardo. Além da cobrança pessoal, é cobrado pela família e também pela sociedade. E os direitos dos cuidadores, quais seriam eles? E as responsabilidades da família e da sociedade, quais seriam elas? Já ouvi relatos de cuidadores familiares serem censurados por terem colocado o familiar em uma instituição de longa permanência por falta de condições físicas, psicológicas e financeiras de continuarem com esse cuidado em casa. Quem somos nós para julgar tal decisão?

É triste ouvir histórias de pessoas que sofrem com o peso da função e não têm tempo e nem dinheiro para realizar outras atividades. Engraçado como que o familiar abdica de trabalhar fora para se comprometer com o cuidado do familiar e não tem o direito a receber nenhuma ajuda de custo para fazer isso, tem que viver de migalhas e ainda é chamado a contribuir financeiramente como se a sua função já não fosse o bastante. E o seu futuro? Estará ele assegurado?

Convido você como leitor (a) a refletir sobre tudo isso e a colaborar de alguma maneira para que a situação do cuidador familiar se modifique. Podemos fazer a nossa parte ajudando parentes, amigos ou vizinhos da forma que acharmos mais conveniente. Também é necessário pressionar o governo para a criação de políticas públicas que se atentem para esse público que está desassistido em inúmeros aspectos. Se souber de alguma ação efetiva, por favor comente sobre isso. Vamos nos unir!

Com carinho,

Julia Bello

juliabello-itsitajuba

fonte da imagem: site da revista It’s Itajubá

 

Anúncios

3 comentários sobre “Desafios dos Cuidadores Familiares

  1. Olivia Oliveira Cavalcanti Silva disse:

    Júlia , concordo com você e principalmente porque a pessoa que está perto, como o cuidador sofre e acompanha o processo da doença. E é muito sofrido. Parabéns pelo seu posicionamento. Bjs

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s