O apoio dos bichinhos de estimação

Olá!

No começo da semana escrevi sobre como a autonomia e a independência podem nos ajudar a resgatar a nossa alegria de viver, veja o texto nesse link. Hoje, novamente a partir da minha experiência pessoal, quero falar sobre como o amor aos bichinhos pode nos resgatar do desânimo e da solidão.

A minha casa costumava ser cheia de gente. Somente entre pai, mãe e irmãs éramos seis pessoas. No entanto, sempre havia pelo menos mais dois ou três integrantes nesse grupo, de funcionários a amigos, namorados e bichinhos de estimação. Já tivemos passarinho, coelho, porquinho da índia, pintinho, patinho, tartaruga, peixe, cachorro, gato… Ufa! Uma lista enorme!

Enquanto o ambiente estava bem ocupado, os bichinhos apenas completavam aquele caos ordenado do nosso dia-a-dia. Era um passatempo, depois da escola e aos finais-de-semana, enchê-los de cuidados e carinho. É claro que houveram aqueles que nos marcaram mais e que nos emocionam até hoje, como o cachorro beagle de nome Filó (de Filomeno Gonzales) e o gato Nino. Que boas lembranças!

O meu pai se mudou e as minhas irmãs se casaram. Agora somos eu, mamãe e a companhia ocasional de funcionários, namorado, parentes e amigos. Os bichinhos continuam por aqui. Os eleitos oficiais são os gatinhos. Impossível não amar os seus afagos! Quem fala que não gosta deles é porque nunca teve um. rsrs

Zequinha é o meu xodô. Quando abro a porta de entrada da casa ele corre para me receber. Gosta de dar e receber carinho. Interage mesmo com aqueles que tem pouca intimidade. De vez em quando, bate uma carência e ele se enrola todo no meu colo e esconde a cara na dobra do meu braço. Aí eu me derreto toda! Se estou chorando, vai me consolar. Deita ao meu lado e me dá o seu apoio sincero e silencioso (exceto por um discreto ronronar).

Se fosse por ordem médica, jamais teria esses bichanos. Convivo pacificamente com uma asma branda e uma alergia respiratória que teima em aparecer nas épocas de frio. Esqueço dos pêlos, pois os benefícios dos gatinhos são muito maiores. O amor sincero que é compartilhado nesta relação não tem preço! Só quem tem um animal de estimação do coração irá compreender essa sensação.

Nise da Silveira, reconhecida psiquiatra que revolucionou o tratamento aos doentes mentais no Brasil, comenta em seu livro Gatos, a emoção de lidar: Observei que os resultados terapêuticos das relações afetivas entre o animal e o doente eram excelentes. Não tenho palavras para expressar o que esses gatinhos fazem pela saúde da minha mãe todos os dias: são seus companheiros, filhos adotivos, amigos para todas as horas. Por mais que a sua memória falhe, não se esquece de cuidá-los e sente muito a sua falta.

Com carinho,

Julia

juliabello-fotodozequinha

foto: Julia Bello (Zequinha me acompanha de perto enquanto escrevo esse texto)

Anúncios

2 comentários sobre “O apoio dos bichinhos de estimação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s